22 1

Família Tarter trabalha unida: a história do Mercado Elisa

O proprietário, a esposa, e mais as três filhas trabalham todos juntos para fazer o Mercado Elisa funcionar. Sabe como? Confira a seguir:

A história do Mercado Elisa

O cliente que entra no Mercado Elisa, localizado na Rodovia Ivo Silveira, entre os bairros Bateias e Barracão, tem grandes chances de encontrar toda a família Tarter – pai, mãe e três filhas por lá.

O conhecido mercado é um típico exemplo de negócio de família. Anésio José Tarter, de 57 anos, a sua esposa, Roseli Bork Tarter, de 58, e as filhas Luciana, Alice e Elisa formam um time e tanto.

A família reside em Brusque, mas de domingo a domingo faz o caminho em direção ao Barracão. O negócio começou há 14 anos. Na época, as três filhas eram muito jovens, e o casal precisou se dividir entre o mercado e acompanhar o crescimento das meninas. No final das contas deu tudo certo.

O surgimento da ideia

Seu Anésio era representante comercial com bastante experiência. Entre idas e vindas ao Barracão fez amizade com Erna Cardoso, proprietária de uma mercearia exatamente em frente onde hoje é o Mercado Elisa.

“Eu tinha vários contatos aqui no Barracão, a dona Erna era um. Ela era tipo uma mãe pra mim, até me ofereceu um aluguel barato para a época.

Anésio José Tarter, proprietário do Mercado Elisa.

A proposta de assumir a mercearia lhe pareceu boa, mas Anésio ainda ficou com “um pé atrás”. Isto porque a sua experiência em administrar um negócio era “zero”. Ele foi então atrás de quem tinha essa experiência.

“Conversei com quem eu considero o ‘rei dos supermercados’, o Seu Raul [não recorda o sobrenome]”. Ele me disse: ‘quero ver alguém me trazer uma ideia melhor do que um mercado para ganhar dinheiro'”.

Anésio José Tarter, proprietário do Mercado Elisa.

Anésio ficou com essa frase na cabeça e passou a amadurecer a ideia de ter o seu próprio negócio.

Como foi o início do Mercado Elisa

Ainda em 2005, decidiu investir no ramo de alimentos. Em fevereiro de 2006, o Mercado Elisa abriu as portas. O nome é uma homenagem à filha mais jovem do casal.

“Elisa significa ‘Deus ajuda’, e acredito que Deus continua ajudando a gente?”, afirma o comerciante. Anésio, porém, não quis trocar, logo no início, o certo pelo duvidoso e continuou na atividade de representante comercial.

A esposa também tinha um bom emprego e nele permaneceu. Dessa forma, os dois precisavam se revezar para poder tocar o mercado. Anésio admite que no começo foi complicado conciliar as atividades.

“Na primeira semana, eu precisei tirar dinheiro do caixa para dar de troco, mas também precisava do dinheiro para abastecer o meu carro para visitar clientes”. Foram tempos difíceis, mas que para o comerciante valeram muito a pena.

Em 2008, o mercado foi atingido pela catástrofe climática. “Eu estava desanimado ajudando a tirar a água de dentro do mercado, resmungando pra mim mesmo, me perguntando por que Deus quis me fazer passar por isso? Foi quando uma das minhas filhas pegou um balde e começou a me ajudar. Eu acho que isso também foi Deus agindo. Ela me viu nessa situação e começou a ajudar”, destaca Anésio. Daí pra frente, o mercado parece que ganhou uma nova vida. Aliás, três novas vidas porque as filhas passaram a ajudar.

A ajuda das filhas no Mercado Elisa

Hoje, graças a elas o Mercado Elisa é reconhecido. Cada uma trabalha num setor. “Hoje, duas delas estão retornando do Ceasa, em Florianópolis, onde foram comprar produtos fresquinhos para o mercado, enquanto a outra tá aqui na área administrativa. Cada uma das minhas filhas, junto com a minha esposa, faz alguma coisa. Elas dão 110% da suas energias para fazer a coisa acontecer”, diz ele com muito orgulho.

O mercado é tão familiar que o seu slogan é: ‘A Nossa Família Servindo a Sua’. “É a nossa família ajudando a servir a família dos nossos clientes. Essa frase é muito verdadeira no nosso dia a dia”, justifica Anésio.

Além das filhas e da esposa, o mercado mantém ainda seis funcionários. Desde 2010, estabelecimento da família Tarter está localizado no endereço em frente à primeira sede, e novamente passa por reformas para melhorar a estrutura e se adequar às demandas da clientela.

O futuro do Mercado Elisa

Seu Anésio faz sempre planos para o futuro. “Nós temos sempre que pensar em melhorar o nosso estabelecimento para dar conforto e mais opções aos clientes. É dessa maneira que vamos ficar fortes, e lembrados pela população, que abraçou o nosso mercado desde o começo”, argumenta.

Anésio quer oferecer uma maior variedade de produtos. Por isso vai criar um espaço junto à padaria. “Daqui a duas ou três semanas, nós vamos poder receber os clientes que quiserem tomar um café num ambiente agradável”, antecipa.

Por enquanto, a área de conveniência não pode ser aberta por causa das medidas de distanciamento social, porém, assim que a prefeitura permitir, o Mercado Elisa vai abrir essa nova opção, por enquanto o atendimento é no delivery.

Outras melhorias na infraestrutura incluem o atendimento mais rápido ao cliente nos caixas, e também no açougue. O Mercado Elisa cresceu em função da visão de uma família que nasceu para ser unida até nos negócios. É assim que seu Anésio e dona Roseli acreditam e aqui vale o antigo ditado: “família que cresce unida permanece unida para sempre” – até nos negócios.

*Com informações do seu Jornal Metas.

Aproveite para procurar por serviços ou empresas mais próximas de você no Guia Município!